Queijo Ralado Vegano

February 28, 2018

 

 

Lembro como se fosse hoje quando meu pai se sentou a mesa do almoço e abriu o teste:

 

- 90% de intolerância à lactose, disse ele. 

Com aquele olhar de "eu já sabia" misturado com "e agora, josé?".

 

Não foi total surpresa porque era visível ele se sentia mal quando comia queijo. Leite nem se fala! Fica mais óbvio ainda porque boa parte dos irmãos e parentes veio a desenvolver a mesma restrição, o que demonstra claramente a importância dos hábitos alimentares + genética neste ponto.

 

A reunião familiar de descendentes italianos é o que, senão, queijo misturado com o resto da comida? hahaha E não vou dizer que não adoro, porque adoro mesmo! Toda essa comilança é sinal de união e de honra as tradições dos nossos antepassados.

 

MAMMA MIA, só um pedacinho (!!!!!)

 

Minha avó paterna, a nossa Nonna, sempre cozinheira de mão cheia, - muito do amor à confeitaria vem dela! - enchia de queijos, leites e manteigas as preparações, - como a nonna dela e a mãe dela sempre fizeram - e, por mais que se saiba que a comida era caseira e feita com muito amor, o nosso leite, por exemplo, com certeza não tem a mesma origem e qualidade dos italianos. Ai já pesa um fator relevante.

 

Além disso, com excesso de qualquer coisa, uma hora a conta chega. Não é não se deve nunca mais comer queijo e derivados na vida - a não ser que você não queira por razões de filosofia pessoal ou não possa por doença - mas se não houver equilíbrio, é quase inevitável que seja desenvolvido algum tipo de intolerância.

 

E porque eu to falando tudo isso? Não é para ficar impondo que TEM que comer isso ou NÃO deve comer aquilo. É complicado de demonizar um tipo de alimento, até porque junto com ele tem muitas histórias e memória afetiva.

 

 

Mas lembrar que o ideal sempre é não exagerar na quantidade de nenhum alimento e buscar o que tem mais qualidade. E equilíbrio é também buscar variar o cardápio. Isso inclui mudar alguns hábitos e usar tipos diferentes de ingredientes, sendo as receitas de hoje uma opção.

 

Elas também são um AFAGO NA ALMA para quem abandonou os leites e derivados - seja porque desenvolveu uma intolerância (a lactose ou à proteína do leite), ou porque resolveu adotar um estilo de vida livre de qualquer alimento, roupa, e produtos de origem animal, como veganos  - sendo uma luz no fim do túnel para aqueles que acham que nunca mais vão conseguir provar algo que remeta ao queijo ou que seja tão saboroso quanto.

 

HÁ SIM ESPERANÇA, AMIGUS (E PAPIS pode respirar aliviado).

 

 

 

Um dos principais componentes que faz MUITA diferença na hora de substituir receitas que lembram queijo é o Nutritional Yeast (Levedura Nutricional). Para quem nunca ouviu falar, ele é uma levedura que provém de um tipo de fungo denominado Saccharomyces Cerevasiae. Ele é cultivado especificamente para ser usado como suplemento alimentar e se desenvolve numa mistura de melaço de cana e beterraba, ficando na forma inativa, quando comercializado. 

 

Ou seja, ele não vai fermentar por ai nas suas preparações. 

 

Seus benefícios:

 

  • Fonte de Vitamina B12 - Apenas duas colheres de chá de fermento nutricional fornecem um dia inteiro de B12 recomendado para o adulto médio.

  • Rico em proteínas e fibras - Em duas colheres, há 8 gramas de proteína e 4 gramas de fibra

  • Recheado de vitaminas e minerais, principalmente ferro e ácido fólico.

  • Tem um sabor e aroma de queijo deliciosos.

 

Ou seja, ele é o verdadeiro BFF dos veganos.

 

Pode ser encontrado em casa de produtos naturais ou para vender em lojas virtuais. As melhores marcas, ao meu ver, são a Now, Pura Vida, VeganWay e da Bob's Red Mill. 

 

Ah sempre bom lembrar que, quem tem apenas intolerância à lactose, pode consumir alguns produtos derivados lácteos, sim, como a manteiga ghee, que eu mostrei como fazer AQUI.

 

Dito isso, confiram então essa receita básica, que pode ser implementada em outras diversas para substituir o nosso amado queijo ralado. 

 

 

QUEIJO RALADO VEGANO:

 

 

 

 

INGREDIENTES

  • 1 xíc de castanha de caju crua

  • 4 c. de sopa de Nutritional Yeast

  • 3/4 c. de chá de sal marinho moído

  • 1/2 c. de chá de alho em pó

 

 

MODO DE PREPARO

Coloque todos os ingredientes em um miniprocessador e misture, mas apenas o suficiente para que fique uniforme e se transforme pequenos grãos, quase uma farinha. Não processe demais, senão corre o risco de virar uma pasta. E está pronto. Você pode utilizar já direto nas preparações ou armazenar na geladeira, por até um mês. 

 

 

 

 

Gostaram?

Espero que sim,

 

Con amore,

Luísa

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload